BRITÂNICO // DE NUNO CARDOSO

Qui 04 Jun 2015 | 21:30 | Auditório
Texto Jean Racine // Encenação Nuno Cardoso - Ao Cabo Teatro

Sinopse

Tragédia em cinco atos, Britânico é uma peça que reflete sobre os valores civilizacionais: poder, honra e verdade, e que efetua um mergulho profundo sobre o psicologismo das personagens, constituindo a primeira tragédia de caráter. Ao pôr em cena a monstruosidade das suas personagens, o autor cria um quadro em que a necessidade e o jogo político são abandonados às paixões, em que o sangue contamina a luta pelo poder e em que a inelutabilidade funesta do futuro se define pela preponderância da violência e do maquiavelismo face ao amor e à esperança. A Companhia Ao Cabo Teatro recupera esta obra de Racine consciente de que o texto, complexo e premente, mantém uma contemporaneidade que não necessita de defesa.

Ficha Técnica

Texto Jean Racine

Encenação Nuno Cardoso

Tradução Regina Guimarães

Interpretação João Melo, Leonor Salgueiro, Mário Santos, Micaela Cardoso, Pedro Frias, Rodrigo Santos, Romeu Costa

Cenografia F. Ribeiro

Desenho de luz José Álvaro Correia

Música Rui Lima e Sérgio Martins

Produção Ao Cabo Teatro

Coprodução Centro Cultural Vila Flor, Theatro Circo, Teatro Municipal do Porto

Com o apoio de Anjos Urbanos – cabeleireiros e El Corte Inglês

Informações Adicionais

Este Britânico constrói-se a partir da peça de Jean Racine, na nova tradução de Regina Guimarães, límpida e acutilante, com a encenação de Nuno Cardoso, assistido por Ana Luena, e a colaboração do conjunto de criadores que tem modelado a linguagem da companhia: F Ribeiro (cenografia), José Álvaro Correia (desenho de luz), Rui Lima e Sérgio Martins (música). Reúne um elenco singular, experiente no trabalho com Nuno Cardoso, capaz de enfrentar a forma e os sentidos de um texto que é, em si, um teatro da retórica: Micaela Cardoso é Agripina, integrou recentemente os elencos de Demónios e Ájax e construiu uma excelente Zerlina, de Hermann Broch, em coencenação com José Roseira e coprodução do TNSJ; Pedro Frias é Nero, no último ano integrou também o elenco de Demónios, fez Lúcido, de Rafael Spregelburd, com encenação de João Cardoso, na Assédio, e Sombras, de Ricardo Pais, no TNSJ; Romeu Costa é Britânico, é conhecido do público da companhia pela participação em Jardim Zoológico de Cristal, fez recentemente Pedro Páramo, de Juan Rulfo, com encenação de Miguel Seabra, no Teatro Meridional, e As You Like It, de Shakespeare, com encenação de Beatriz Batarda; Leonor Salgueiro é Júnia, estreia-se na Ao Cabo Teatro, mas não no Porto, onde fez Alma, de Gil Vicente, e Casas Pardas, de Maria Velho da Costa, ambos com encenação de Nuno Carinhas e acompanhou Romeu em As You Like It; João Melo é Burro, integrou os elencos de Coriolano e Demónios e estreou recentemente Cabaret, um musical para adultos, de Lee Beagley, na Tertúlia Castelense; Rodrigo Santos é Narciso, integrou os elencos de Coriolano e Ájax e é membro da companhia Palmilha Dentada, onde estreou recentemente Bzura, de Ricardo Alves; Mário Santos é Albino, no último ano integrou os elencos de Coriolano e Ájax e de Tatuagem, de José Carretas, na Panmixia – Associação Cultural.

 

Sobre Nuno Cardoso 

Nuno Cardoso iniciou o seu percurso teatral no CITAC – Círculo de Iniciação Teatral da Academia de Coimbra. Como ator, destacam-se: Um Processo a partir de Franz Kafka (enc. Paulo Lisboa, CITAC/1994); O Subterrâneo de F. Dostoievski (enc. Paulo Castro, Visões Úteis/1995); Gato e Rato de Gregory Motton (enc. João Paulo Seara Cardoso, Visões Úteis/1997); Na Solidão dos Campos de Algodão de Bernard-Marie Koltès (enc. Nuno M Cardoso, Teatro Só/1999); Projecto X.2 – A Mordaça de Eric-Emmanuel Schmitt (dir. Francisco Alves, Teatro Plástico/2000); Gretchen a partir de Urfaust, de Goethe (enc. Nuno M Cardoso, O Cão Danado, TNSJ/2003); Otelo de W. Shakespeare (enc. Nuno M Cardoso, O Cão Danado, TNSJ/2007), Querido Monstro de Javier Tomeo (enc. José Neves, Projéc~, 2009), Filho da Europa a partir de Peter Handke (enc. João Garcia Miguel, JGM/Ao Cabo Teatro, 2010) e T3+1 a partir de A. Tchekov (enc. Victor Hugo Pontes, José Eduardo Silva e Luís Araújo, TNSJ/Ao Cabo Teatro, 2010).

Foi um dos fundadores do coletivo Visões Úteis, onde encenou As Aventuras de João Sem Medo a partir da obra homónima de José Gomes Ferreira (1995); Casa de Mulheres de D. Maraini (1996); e Porto Monocromático (1997).

Encenou Paysage Choisi a partir de textos de Federico García Lorca (Teatro Rivoli/1999); De Miragem em Miragem se Fez a Viagem de Carlos J. Pessoa (FITEI/2000); Antígona de Sófocles e PRJ. X. Oresteia a partir de Ésquilo (projecto da Porto 2001 realizado no Estab. Prisional de Paços de Ferreira); e The Golden Vanity ópera de Benjamin Britten (Casa da Música/2004). De 1998 a 2003, foi Diretor Artístico do ANCA.

No TNSJ, assumiu a Direção Artística do Teatro Carlos Alberto entre 2003 e 2007.

Como criador residente no TNSJ, encenou: Pas-de-Cinq + 1 de Mauricio Kagel (1999);  O Despertar da Primavera de Frank Wedekind (2004); Woyzeck, de Georg Büchner (2005); e Plasticina de Vassili Sigarev (2006).

 

Sobre a Ao Cabo Teatro

A Companhia Ao Cabo Teatro revisita sistematicamente, nos repertórios clássico e contemporâneo, a matéria poética que alimenta uma ideia de teatro como máquina de interpelação e reescrita do presente. A cada novo projeto, mobiliza uma equipa coerente no exercício de um modelo de criação que constrói universos significantes através do confronto contínuo de saberes e linguagens teatrais. Nos últimos anos, visitou recorrentemente a obra de Tchékhov (Platónov, 2008; A Gaivota, 2010; As Três Irmãs, 2011) e a de Shakespeare (Ricardo II, 2007; Medida por Medida, 2012; Coriolano, 2014) e viajou por Tennessee Williams (Jardim Zoológico de Cristal, 2009), Eugene O´Neill (Desejo sob os Ulmeiros, 2011), Friedrich Dürrenmatt (A Visita da Velha Senhora, 2013), Lars Norén (Demónios, 2014) e Sófocles (Ájax, 2014), até desembarcar neste Britânico, de Jean Racine. Trabalha igualmente outras formas de relação entre o gesto teatral e os seus públicos, entre profissionais e não profissionais, de que são exemplo Porto São Bento (TeCA, 2013) e Arquipélago (Ilha da Bela Vista, 2014).

Duração do Espectáculo

2h10

Faixa Etária

M/12

Preçário

€7
€5 [< 25, Estudante, > 65, Grupo ≥ 10, Desempregado, Parcerias]
Comprar Bilhete
  • partilhar: