DEMÓNIOS // AO CABO TEATRO

Qua 12 Nov 2014 | 21:30 | Sala Principal [lotação limitada]
TEXTO DE LARS NORÉN // ENCENAÇÃO NUNO CARDOSO

Sinopse

Frank e Katarina não têm filhos, têm trinta e muitos anos e uma relação de nove anos. Vivem num apartamento fino, mas desleixado. Jenna e Thomas vivem no apartamento de baixo; são da mesma idade, têm dois filhos e as intermináveis pequenas desgraças que se abatem numa pequena família normal.

No dia do funeral da mãe de Frank os dois casais convivem pela primeira vez. O jovem casal, aparentemente feliz e extenuado com as crianças, caminha para o inferno da relação de Frank e Katarina. O serão começa como uma espécie de reunião amigável de dois casais e tropeça num encontro de passos em falso não planeados. Os quatro enredam-se numa trama de humilhações, provocações sexuais, confissões inesperadas e ataques exibicionistas. A solidão agressiva do casal sem filhos abala o suposto idílio do outro casal. Esta tensão sexual pelo outro, que, após centenas de cruzamentos nas escadas, transforma-se numa fantasia contínua, não pode ser expressa de forma catártica. Descamba em tentativas confusas e embaraçosas de uma vida desinibida e selvagem. O medo da solidão, o aborrecimento da relação e as esperanças arruinadas de uma revigorante mudança constroem uma prisão onde os demónios da vida se escondem numa vida quotidiana de mesquinha maldade, rancor desajeitado, ameaças de separação e impotência sexual.

Demónios, do famoso dramaturgo sueco Lars Norén, com encenação de Nuno Cardoso, é apresentado no TAGV, no âmbito da programação do Centro de Dramaturgia Contemporãnea, um projeto com a parceria do Curso de Estudos Artísticos da Faculdade de Letras UC/FLUC, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra/CEIS20 e TAGV.

Ficha Técnica

Texto de Lars Norén

Tradução Ricardo Braun

Encenação Nuno Cardoso

Interpretação João Melo, Joana Carvalho, Micaela Cardoso, Pedro Frias 

Cenografia F. Ribeiro

Desenho de Luz José Álvaro Correia

Coprodução Ao Cabo Teatro, O Cão Danado e Companhia, CCVF – Centro Cultural Vila Flor

Apoios Embaixada da Suécia, Anjos Urbanos Cabeleireiros

Agradecimentos Gonçalo Vilas-Boas, Francisca Carneiro Fernandes, Josué Maia

O Ao Cabo Teatro e o Cão Danado e Companhia são estruturas financiadas por Governo de Portugal / Secretário de Estado da Cultura / DirecçãoGeral das Artes

 

Parceria // Centro de Dramaturgia Contemporânea Curso de Estudos Artísticos da Faculdade de Letras UC/FLUC, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra/CEIS20, TAGV

Informações Adicionais

Nuno Cardoso iniciou o seu percurso teatral no CITAC – Círculo de Iniciação Teatral da Academia de Coimbra.

Como ator, destacam-se Um Processo, a partir de Franz Kafka (enc. Paulo Lisboa, CITAC/1994); O Subterrâneo, de F. Dostoievski (enc. Paulo Castro, Visões Úteis/1995); Gato e Rato, de Gregory Motton (enc. João Paulo Seara Cardoso, Visões Úteis/1997); Na Solidão dos Campos de Algodão, de Bernard-Marie Koltès (enc. Nuno M Cardoso, Teatro Só/1999); Projeto X.2 – A Mordaça, de Eric-Emmanuel Schmitt (dir. Francisco Alves, Teatro Plástico/2000); Gretchen, a partir de Urfaust, de Goethe (enc. Nuno M Cardoso, O Cão Danado, TNSJ/2003); Otelo, de W. Shakespeare (enc. Nuno M Cardoso, O Cão Danado, TNSJ/2007), Querido Monstro, de Javier Tomeo (enc. José Neves, 2009), Filho da Europa, a partir de Peter Handke (enc. João Garcia Miguel, JGM/Ao Cabo Teatro, 2010) e T3+1, a partir de A. Tchekov (enc. Victor Hugo Pontes, José Eduardo Silva e Luís Araújo, TNSJ/Ao Cabo Teatro, 2010).

Foi um dos fundadores do coletivo Visões Úteis, onde encenou As Aventuras de João Sem Medo, a partir da obra homónima de José Gomes Ferreira (1995); Casa de Mulheres, de D. Maraini (1996); e Porto Monocromático (1997).

Encenou Paysage Choisi, a partir de textos de Federico García Lorca (Teatro Rivoli/1999); De Miragem em Miragem se Fez a Viagem, de Carlos J. Pessoa (FITEI/2000); Antígona, de Sófocles e PRJ. X. Oresteia, a partir de Ésquilo (projeto da Porto 2001 realizado no Estab. Prisional de Paços de Ferreira); e The Golden Vanity, ópera de Benjamin Britten (Casa da Música/2004). De 1998 a 2003, foi Diretor Artístico do ANCA.

No TNSJ, assumiu a Direção Artística do Teatro Carlos Alberto entre 2003 e 2007.

Como criador residente no TNSJ, encenou Pas-de-Cinq + 1, de Mauricio Kagel (1999); O Despertar da primavera, de Frank Wedekind (2004); Woyzeck, de Georg Büchner (2005); e Plasticina, de Vassili Sigarev (2006).

Outras encenações: Ricardo II, de W. Shakespeare (TNDM II, 2007); R2, Shakespeare interpretado por jovens do Bairro da Cova da Moura; Boneca, a partir de H. Ibsen (Cassiopeia, C. C. Vila Flor/TNDM II/Theatro Circo, 2007); Platónov, de Anton Tchekov, Menção Especial da Assoc. Portuguesa de Críticos de Teatro, Melhor Espetáculo do Guia dos Teatros e designação pelo Público como Melhor Espetáculo do Ano, (TNSJ, 2008); A Boa Alma de Sechuan, de Brecht (C. Dram. Galego, 2008); Love and Marriage, a partir de Ibsen (T. N. de Bordeaux Aquitaine/2009); Jornada para a Noite, de Eugene O’Neill (TEP, 2010).

Para a Ao Cabo Teatro encenou Antes dos Lagartos, de Pedro Eiras (2001), estreado no Porto, no âmbito do PoNTI 2001 e apresentado em Bratislava, no Festival da Convenção Teatral Europeia; Purificados, de Sarah Kane (2002), Valparaíso, de Don DeLillo (2002), Parasitas, de Marius von Mayenburg (2003), Jardim Zoológico de Cristal, de Tennessee Williams, considerado pelo jornal Público como um dos melhores do ano (2009); A Gaivota, de A. Tchekov (2010); As Três Irmãs, de A. Tchekov (2011); Desejo sob os Ulmeiros, Eugene O´Neill (2011), Medida por Medida, de W. Shakespeare (2012)) e Porto S. Bento (TNSJ/Manobras 2012).

Duração do Espectáculo

1h30

Faixa Etária

M/16

Preçário

€7
€5 [< 25, Estudante, > 65, Grupo + 10, Desempregado, Parcerias]
Grupo + 10 [Oferta 2 bilhetes na compra de 10 ingressos]
  • partilhar: