I DON’T BELONG HERE

Qui 11 Jun 2015 | 21:30 | Auditório

Sinopse

Projeto de teatro documental concebido pelo ator e encenador Dinarte Branco e pelo escritor e guionista Nuno Costa Santos, I Don’t Belong Here é um espetáculo sobre deportação protagonizado por deportados. Parte das memórias e da experiência de repatriamento para o arquipélago dos Açores de cidadãos portugueses que cresceram nos Estados Unidos da América e Canadá e, portanto, com referências culturais integralmente americanas e canadianas.

Desenvolvido a partir de um desafio do Observatório dos Luso-Descendentes ao criador Dinarte Branco, reúne atores profissionais e algumas das pessoas que passaram por esta experiência da deportação. Em conjunto, desenvolveu-se um trabalho de construção do texto e do espetáculo a partir da reconstituição biográfica de alguns deles: as memórias vagas da infância nas ilhas, a partida com a família, a adolescência, a entrada no universo da criminalidade, o julgamento e a dupla pena: a prisão, o repatriamento e, agora, a vida na ilha.

Ficha Técnica

Texto Nuno Costa Santos, Dinarte Branco, Cláudia Gaiolas, Joe Leandro, Louie de Sousa, Paul Pacheco, Tiago Nogueira, Tony Brum, Zita Almeida

Encenação Dinarte Branco

Interpretação António Brum, Cláudia Gaiolas, José Leandro, Luís de Sousa, Tiago Nogueira, Zita Almeida

Vídeo Paulo Abreu

Desenho de luz Feliciano Branco

Desenho de som Sérgio Gregório

Cenografia e guarda-roupa Paulo Oliveira

Produção executiva Alexandra Libânio, Pedro Pacheco

Coprodução Molloy Associação Cultural, AGECTA/Moby Dick Produções, Teatro Micaelense, O Espaço do Tempo, Maria Matos Teatro Municipal, Centro Cultural Vila Flor, Teatro Viriato, TNSJ

Com o apoio de Fundação AMI, Governo dos Açores

Parceria Observatório dos Luso-Descendentes, Associação Novo Dia

Espetáculo coproduzido no âmbito da Rede 5 Sentidos

Espetáculo maioritariamente em inglês, sem tradução

Informações Adicionais

ante-estreia 19 e 20 dezembro 2014 O Espaço do Tempo, Montemor-o-Novo
estreia  9 janeiro 2015 Teatro Maria Matos, Lisboa
De 9 a 11 e de 13 a 15 de janeiro 2015 Teatro Maria Matos, Lisboa
17 de janeiro 2015 Teatro Virgínia, Torres Novas
De 21 a 25 de janeiro 2015 Teatro Carlos Alberto, Porto
4 de junho 2015 Centro Cultural Vila Flor, Guimarães
11 de junho 2015 Teatro Académico de Gil Vicente/TAGV, Coimbra

19 e 20 de junho 2015 Teatro Viriato, Viseu

 

Dinarte Branco Frequentou o Curso de Formação de Atores da ESTC. Participou como ator em espetáculos encenados por Luís Miguel Cintra, Jorge Silva Melo, Joaquim Benite, Ana Nave, Sandra Faleiro, Francisco Salgado, Pedro Carraca, Ricardo Aibéo, Miguel Seabra, Tiago Rodrigues, Christine Laurent, Carlos J.Pessoa, Marco Martins, Adriano Luz, Solveig Noderlund, Pedro Marques, Nuno M Cardoso e Beatriz Batarda. Participou no espetáculo Point Blank, da companhia belga STAN. Na SubUrbe, juntamente com Cláudia Gaiolas, Tiago Rodrigues, foi ator nas criações coletivas Zapatistas am/pm, A gente vê-se lá fora e True West. Criador e intérprete, juntamente com Nicolau dos Mares, de gestos para nada a partir de textos de José Sanchis Sinisterra. Direção artística de César a partir de Júlio César de Shaskepeare. Dirigiu Ricardo Araújo Pereira em Como fazer coisas com palavras. Encenação de 82 oãhivaP a partir do universo de David Lynch. Encenação de Em casa no Jardim Zoológico de Edward Albee. Encenação juntamente com Nuno Costa Santos de É Preciso Ir Ver – Uma Viagem com Jacques Brel. Codirigiu com Tiago Nogueira O Escurial. Trabalha regularmente como ator em séries televisivas. No cinema trabalhou com Sandro Aguilar, Jeanne Waltz, Pedro Caldas, Carlos Braga, Margarida Cardoso, Mário Barroso, João Figueiras, João Botelho, João Nuno Pinto, Raul Ruiz e Artur Serra Araújo. Realizou a curta-metragem Ponta dos Rosais. Membro da Molloy Associação Cultural.

 

Nuno Costa Santos Autor e coencenador da peça É Preciso Ir Ver – uma Viagem Com Jacques Brel. Coautor de Portugal, uma Comédia Musical e de Stand-Up Tragedy. Autor no conjunto de peças Urgências. Autor do guião do musical O Assobio da Cobra. Autor do documentário Saudade Burra de Fernando Assis Pacheco e do livro Trabalhos e Paixões de Fernando Assis Pacheco (Tinta da China). Autor dos livros Dez Regressos (Salamandra), O Inferno do Condomínio (Gradiva), Os Dias Não Estão para Isso (Livramento) e Às Vezes é um Insecto que Faz Disparar o Alarme (Companhia das Ilhas). Coordenador de Ventana a la Nueva Poesía Portuguesa (México). Criativo e ator do programa Zapping (RTP-2). Editor do programa Serviço Público (RTP 2). Autor do blogue Melancómico, dos livros (Guerra e Paz e Escritório) e do programa de rádio com o mesmo nome (Rádio Clube Português). Autor do programa de TV Melancómico (canal Q) e das crónicas Falar para Dentro, Portugal, um Retrato Pessoal e O Marginal Ameno (canal Q). Professor de escrita criativa na Restart e nas Produções Fictícias. Coordenador criativo do Rádio Clube Português. Cofundador, coautor e coeditor de Manobras de Diversão (teatro e TV). Editor dos programas Serviço Público e O Trabalho (RTP 2). Colaborador do DNA, da Grande Reportagem, da Focus, da Ler e da Sábado. Cronista diário do jornal A Capital. Diretor da revista Inventio, da Faculdade de Direito de Lisboa.

Duração do Espectáculo

2h00

Faixa Etária

M/12

Preçário

€7
€5 [< 25, Estudante, > 65, Grupo ≥ 10, Desempregado, Parcerias]
Comprar Bilhete
  • partilhar: