EXPERIÊNCIA DE QUASE-MORTE // DE BENOÎT DELÉPINE E GUSTAVE KERVERN

Seg 25 Mai 2015 | 18:30 | Auditório
CINEMA À SEGUNDA

Sinopse

Paul, um operador de call-center, encontra-se à beira de um esgotamento. Ao ver o noticiário numa sexta-feira 13, interpreta a data como um sinal para tomar uma atitude e foge para as montanhas, onde irá viver uma experiência única.

Ficha Técnica

Argumento e Realização Benoît Delépine, Gustave Kervern

Com Michel Houellebecq, Marius Bertram, Benoît Delépine

Diretor de Fotografia Hugues Poulain

Título Original Near Death Experience

Ano 2014

País França

Parceria Leopardo Filmes

Festivais e Prémios

Festival  de Veneza 

Informações Adicionais

Sobre os realizadores

Benoît Delépine e Gustave Kervern são uma dupla de realizadores francesa. Após trabalharem juntos na televisão, estreiam Aaltra, o seu primeiro projecto juntos, que se no circuito de festivais internacional e vence o Prémio FIPRESCI no Festival de Londres, em 2004. Em 2006 realizam Avida e em 2010 Mammuth, protagonizado por Gérard Depardieu estreia Em Competição no Festival de Berlim.

 

Sobre o filme

É um poema coletivo filmado. Éramos um grupo muito pequeno e pacífico, passávamos horas sem falar no meio daquela montanha magnífica, numa espécie de regresso ao fundamental. Não tínhamos a pressão do sucesso, porque queríamos realmente fazer um poema fílmico. Graças à voz off [Michel Houellebecq], o poeta fala. Também queríamos que isso se visse na imagem, e sobretudo, não queríamos um olhar clínico sobre o black-out. Mostramos uma busca espiritual que não é religiosa nem está ligada a um qualquer deus, mas etérea, ligeira. O filme chama-se Experiência de Quase-Morte porque Michel Houellebeccq brinca, no sentido lúdico, com a morte.

[…] Optámos por uma imagem muito granulosa, como a de uma velha câmara, nada de precisão de alta definição de hoje. Em alta definição seria horrível. Levámos algum tempo a escolher o grão para obter esse lado pictórico. O rosto de Michel é espantoso e nele reside o interesse do filme: […] ele tem graciosidade, é um bailarino. O realizador Benoît Delépine em entrevista a Jan Le Bris de Kerne, Público

 

Michel Houellebecq, o escritor, tornou-se ator pelo tempo de dois filmes. Dois filmes extraterrestres (poderia ser de outro modo com ele, criatura genial e fora do seu tempo?), lançados ao mesmo tempo. Duas longas-metragens, duas narrativas muito diferentes e, no entanto, um mesmo ator que explode no ecrã, habitado por uma comicidade subtil e afundado num abismo de melancolia poética.

[…] O espetador sairá da sala maravilhado, mas perguntando-se ainda – e poderia ser de outro modo? – Quem é Michel Houellebecq. Jan Le Bris de Kerne, Público

Duração do Espectáculo

1h30

Faixa Etária

M/12

Preçário

€4
€3 [< 25, Estudante, > 65, Grupo ≥ 10, Desempregado, Parcerias]
  • partilhar: