Fado – Vozes do Património

Ter 08 Abr 2014 | 21:30 | Sala Principal
XVI Semana Cultural da Universidade de Coimbra

Sinopse

Interpretação de célebres temas do Fado de Lisboa e Canção de Coimbra acompanhados por Guitarra Portuguesa, Viola e Quarteto de Cordas. Um espetáculo com o Orfeon Académico de Coimbra e direção do Maestro Artur Pinho Maria. O evento conta ainda com momentos de dança a cargo da Escola de Dança Rita Grade.

Ficha Técnica

Fotografia André Monteiro

Informações Adicionais

 

ORFEON ACADÉMICO DE COIMBRA

O Orfeon Académico de Coimbra (OAC) é fundado em 1880 pelo estudante da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, João Arroyo. Estreou-se a 7 de dezembro do mesmo ano, no Teatro Académico Príncipe Real, em Coimbra, por ocasião das comemorações do tricentenário da morte de Camões, com o nome Sociedade Choral do Orpheon Académico.

Em 1911, o OAC atuou no Trocadero, em Paris, naquela que foi a sua primeira digressão no estrangeiro. Desde então, o Orfeon já pisou quatro dos cinco continentes. Mais recentemente, interpretou a 9ª Sinfonia de Beethoven, inserida nas celebrações dos 500 anos da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra.

Com 133 anos, o Orfeon Académico de Coimbra brota juventude. Constituído por cerca de 40 coralistas provenientes da academia Conimbricense, e em permanente empenho para manter e continuar a construir esta longa e gloriosa história, é o mais antigo coro português e um dos mais antigos da Europa.

Atualmente, desde de 2008, o Orfeon Académico de Coimbra tem como Diretor Artístico o Maestro Artur Pinho Maria.

 

 

MAESTRO ARTUR PINHO MARIA

Artur Pinho Maria é diretor artístico Orfeon Académico de Coimbra. Licenciado em Direção Musical pelo Conservatório Superior de Música de Gaia, sob a orientação do Maestro Mário Mateus, estudou com Anton de Beer, Edgar Saramago, John Roos, Vianey da Cruz, Jean-Marc Burfin, Peppe Prates, Vasco Pearce de Azevedo, José Luís Borges Coelho, Ivo Cruz, António Vassalo Lourenço e Ernst Schelle. Orienta diversos cursos de direção coral e masterclass de técnica vocal e direção.

É maestro titular e diretor artístico do Coro do Porto de Aveiro, do Orfeão de Vale de Cambra, do Orfeão do Paraíso Social de Aguada de Baixo e do Coro Sinfónico Inês de Castro.

Foi diretor artístico e maestro titular da Orquestra Clássica do Centro, de coros académicos e de coros regionais. Como maestro convidado, dirigiu a Orquestra Filarmonia das Beiras, a Orquestra do Norte, a Orquestra Espoarte, a Orquestra Clássica do Centro, a Orquestra Filarmonia de Gaia e a Orquestra da Fundação Conservatório Regional de Gaia.

Das gravações editadas, destaca a primeira gravação integral dos cadernos I e II de “Fernando Lopes Graça – Canções Regionais Portuguesas” (2007).

 

QUARTETO OPUS QUATRO

Fundado em Fevereiro de 2013, o Opus Quatro é um quarteto de cordas constituído por João Cristóvão e Miguel Gil, violinos, pela Susana Magalhães, viola d’arco, e pela Gabriela Magalhães, violoncelo.

 O primeiro trabalho, realizado em fevereiro deste ano, foi a gravação para o álbum de estreia do cantor Jorge Roque, vencedor da Operação Triunfo de 2010. Em julho último, o quarteto participou no concerto de encerramento do 5º Festival das Artes de Coimbra, na Quinta das Lágrimas. Este concerto contou também com a participação do grupo CORDIS e da fadista Cuca Roseta. Em setembro,  participa no 8th Yes Meeting, reunião médico-científica internacional, realizada no Salão Árabe do Palácio da Bolsa.

Neste breve percurso artístico, o Opus Quatro averba já inúmeras participações em cerimónias solenes e eventos sociais, além das realizações de caráter exclusivamente artístico e musical.

 

 

Preçário

8€ [Normal]
5€ [Estudantes]
  • partilhar: