MAGMA – No Limite da Selvajaria

Ter 20 Fev 2018 | 21:30 | auditório TAGV (lotação limitada)
- Performance, Agora!

Sinopse

MAGMA – NO LIMITE DA SELVAJARIA é um solo que explora um imaginário onde a violência e o poder colapsam na solidão e no silêncio. Para Flávio Rodrigues, é “uma guerra sem guerra, a sós”, uma caminhada solitária carregada de memórias, metáforas, medo, silêncio, dor, coragem, amor, desistência e resistência. Magma constrói-se a partir da ausência, onde os objetos sonoros, cénicos e coreográficos se tornam presentes nas analogias, interferências e conexões estabelecidas entre si, concorrendo para a construção de uma narrativa poética, um ato revolucionário que transporta em si os medos e os paradoxos da existência. “Bem-vindos à guerra niilista.”

Ficha Técnica

 

Criação e interpretação Flávio Rodrigues 

Conceção técnica Daniel Oliveira

Interprete no processo Bruno Senune

Figurino Flávio Rodrigues

Registo audiovisual  Eva Ângelo

Fotografia de cena Susana Neves

Tradução Bárbara Branco

Documentação Telma João Santos

Apoio Útero

Estruturas associadas 23 Milhas (Ilhavo), Teatro de Ferro (Porto), Festival ContraDança (Covilhã), Eira (Lugar à Dança), Balleteatro (Coliseu, Porto)

Coprodução Flávio Rodrigues, Teatro Nacional São João

Fotografia Flávio Rodrigues

Informações Adicionais

Flávio Rodrigues (n. 1984) tem formação em Dança pelo Ginasiano (1996), Balleteatro Escola Profissional (2003), Dance Works Rotterdam (2005) e pelo Núcleo de Experimentação coreográfica (2008). Em 2012 participou nos encontros Les Réperages/Danse à Lille e integrou, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, a residência coreográfica Correios em Movimento/Dança em Trânsito, no Rio de Janeiro. Desde 2006 que desenvolve os seus projetos pessoais (performances, filmes; instalações; paisagens sonoras; intervenções públicas) apresentando-os em diferentes contextos : CATÁLOGO (2008), STARVELING (The rite of spring) (2012), RARA (2014) e G.O.D. (2015) são alguns dos títulos.
Colaborou (como interprete, músico ou figurinista) em projetos com diferentes criadores: Né Barros, Isabel Barros, Joclécio Azevedo, Vítor Rua, Tânia Carvalho, Joana Castro, Bruno Senune, Elisa Worm, Mariana Amorim, Teresa Prima e Radar 360º, Cristina Planas Leitão. Foi intérprete da companhia Ballet Contemporâneo do Norte entre 2009 e 2014. É co- programador do Festival Corpo+cidade, desde 2014.

Duração do Espectáculo

50 min

Faixa Etária

para maiores de 6

Preçário

€7
€5
< 25, estudante, > 65, comunidade UC, grupo ≥ 10, desempregado, parcerias
Comprar Bilhete
  • partilhar: