Os Fascínios Climáticos

Sáb 01 Mar 2014 | 21:30 | Sala Principal
Concerto Comemorativo dos 724 Anos da Universidade de Coimbra

Sinopse

De quem é a ópera? De Monteverdi? De Donizetti? De Verdi? E franceses, alemães, russos, ingleses, portugueses? Criou-se uma teia de influências para lhe baralhar a paternidade. Uma rede de compositores, libretistas, escritores, artistas, conceitos, teorias, idiomas. Cinco séculos de tempestades, verões quentes, paisagens arrebatadoras. Uma hora de fascínios climáticos por um grupo vozes primaveris, ansiosas que chegue um primeiro verão.

Ficha Técnica

Com Estúdio de Ópera do Conservatório de Música de Coimbra e Orquestra Clássica do Centro

Maestro David Wyn Lloyd

Direcção artística Mário João Alves

Organização Orquestra Clássica do Centro, Teatro Académico de Gil Vicente e Reitoria da Universidade de Coimbra

Informações Adicionais

Estúdio de Ópera do Conservatório de Música de Coimbra

A funcionar desde Outubro de 2012, o Estúdio de Ópera é a classe de conjunto do Conservatório de Música de Coimbra dedicada à ópera. O projecto, integra alunos das várias classes de canto do conservatório e pretende ser um espaço de formação para as especificidades do trabalho operático. No seu primeiro ano apresentou os espectáculos “O Amor em tempos de Crease” e “Quando o Sol bate no muro”, onde trabalharam obras de Mozart, Verdi, Bizet, Teixeira, Weil. Neste segundo ano apresentarão, para além de “Os Fascínios Climáticos”, a ópera de Gilbert and Sullivan “The Pirates of Penzence”, come estreia marcada para Junho no Grande Auditório do Conservatório de Música de Coimbra.

 

Orquestra Clássica do Centro

Apresentou-se, enquanto orquestra profissional, em 2001. Do seu historial têm-se destacado concertos em monumentos arquitectónicos, procurando juntar no mesmo espaço os patrimónios arquitectónico e musical. Tem contado com o contributo solístico e com a regência de notáveis figuras do nosso panorama musical. Tem organizado festivais, concursos e conferências, para além das atividades exclusivamente concertísticas. Ao longo destes anos, tem realizado o seu trabalho de forma ininterrupta, procurando levar a música erudita a toda a Região Centro, colaborando com diversas entidades a nível regional, local, profissional, etc. A OCC tem privilegiado a estreia de obras. Organiza anualmente, desde 2007, os Encontros Internacionais da Guitarra Portuguesa, com o patrocínio da Caixa Geral de Depósitos. procurando promover a valorização da guitarra portuguesa, enquanto instrumento solista de orquestra. Editou vários CD´s, dos quais se destacam “Cantar Coimbra 1 e 2” ou a  Suite Sinfónica Aeminium do compositor José Firmino. Em 2013 edita o presente Cd “ Em Memória da Madrugada (em Coimbra)” com obras de Debussy, de Delius e de Marina Pikoul com a participação do  solista Dejan Ivanovic. Ainda em 2013, com a autoria das compositoras Marina e Natália Pikoul apresentou, em estreia no Festival das Artes, a Ópera “Os Sinos da Macieira”. A Orquestra Clássica do Centro conta com o apoio Institucional da Câmara Municipal de Coimbra, e tem como Mecenas plurianuais a Caixa Geral de Depósitos e a EFAPEL. Tem ainda o apoio da Universidade de Coimbra, do ISCAC, do Diário As Beiras, do Diário de Coimbra, além da Chritical Software, da ISA e da ASCENDUM.

 

David Wyn Lloyd

Maestro Doutorado pela Universidade de Sheffield, em Inglaterra, iniciou os seus estudos superiores em 1981, no Royal College of Music, em Londres. Durante o período em que frequentou esta escola ganhou vários prémios para viola d’arco e música de câmara. Prosseguiu os seus estudos com Peter Schidlof, do Quarteto Amadeus e participou em Masterclasses, na Cornualha. Tem tido uma carreira profissional intensa, tocando com as principais orquestras de Londres, colaborando em cinema e televisão e assinando várias gravações. David Wyn Lloyd foi membro da BBC Symphony Orchestra durante quatro anos. Durante a sua estadia em Londres tocou com vários maestros, entre os quais Klaus Tennstedt, Christoph von Eschenbach, Bernard Haitink, Pierre Boulez, Sir John Pritchard, Vladimir Ashkenazy, Zubin Mehta, Günter Wand, Sir Simon Rattle, Guiseppe Sinopoli, Sir Andrew Davis, Sir Colin Davis, Gennady Rozhdestvensky, Alexander Lazarev e Essa Pekka Salonen.Lloyd tocou em palcos de grande prestígio como o Albert Hall, Festival Hall, Barbican Centre (Londres), Berliner Philharmonie e Concertgebouw, Ópera (Paris), La Scala (Milão), Musikverein e Gewandhaus. Em Portugal, David Wyn Lloyd começou por atuar como solista do naipe de violas da Orquestra Nacional do Porto, iniciando depois uma atividade lectiva em várias escolas profissionais, como a Artave. Em 1996 foi convidado para ser docente na Universidade de Aveiro, onde lecciona as disciplinas de Violino, Viola d’arco e Música de Câmara. Dirigiu a Orquestra da Universidade entre 1998 e 2008, trabalhando depois como maestro com orquestras como a ORI-Orquestra Raízes Ibéricas e em formações periféricas em Inglaterra e nos Estados Unidos. Os seus interesses incluem o tango (é membro fundador do Portotango Ensemble) e trabalhos de transcrição. Em abril de 2012 foi convidado para Director Artístico e Maestro titular da Orquestra Clássica do Centro, cargo que exerce actualmente.

 

Mário João Alves

Tenor, realizou os seus estudos canto com Fernanda Correia, Elio Battaglia e Gabriella Ravvazzi. Presença regular no Teatro Nacional de São Carlos desde 1997, cantou Nemorino, Ferrando, Conte di Almaviva, Tamino, Rinuccio, Pedrillo, Candide, Ruggero (La Rondine), Fadinard (Il Cappello di Paglia di Firenze) Alfred (Fledermaus), Joe (Blue Monday), e ainda Le Clerc (Jeanne d‘Arc au Boucher), Mr. Keen, Lucien and Peter (The English Cat), Ivan, (Le Nez), St. Stephen (Four Saints in Three Acts), entre outros. Colabora regularmente nas temporadas de música da Fundação Calouste Gulbenkian, Orquestra do Norte, Orq. Nacional do Porto Casa da Música, Metropolitana, Ópera Norte e Músicos do Tejo. Paralelamente, tem-se apresentado nas temporadas de ópera e concerto, em teatros como o La Fenice de Veneza, La Monnaie de Bruxelas, Regio de Turim, BAM de New York, Comunale di Bologna,  Maestranza de Sevilla, Cairo Opera House, Muscat Royal Opera House, Tokyo, Macau, Lausanne, Paris, Palermo entre outros, trabalhando com Plácido Domingo, Franco Zeffirelli, José Cura, Daniela Dessi ou Bob Wilson. Gravou para a BMG, Sony Music, RCA Victor e Naxos. Autor, publicou “A Valsa dos sem-isqueiro” (2006), “Amilcar, consertador de búzios Calados”(2011 – Prémio Matilde Rosa Araújo),  “Afonso Cabrita, meu tio, ensaísta, toureiro e melancólico” (2011 -Prémio Bocage de Conto),  “José, será Mago?” (2012) e  “Histórias da Música em Portugal” (2013). Foi co-fundador do quinteto vocal Vozes da Rádio e da Companhia Ópera Isto. Desde 2012 dirige o Estúdio de Ópera do CMC.

Preçário

10€ [Normal]
8€ [< 25, Estudante, > 65, Grupo + 10, Desempregado, Parcerias]
Grupo + 10 [Oferta 2 bilhetes na compra de 10 ingressos]
5€ [Estudante UC, Docente e Não Docente UC]
  • partilhar: