POCILGA // PASOLINI – 40 ANOS

Qui 22 Jan 2015 | 21:30 | Auditório
TEXTO DE PIER PAOLO PASOLINI // ENCENAÇÃO DE JOHN ROMÃO

Sinopse

Tudo o que Pier Paolo Pasolini escreveu e filmou está ligado à dimensão do íntimo, à vida do corpo humano. O espetáculo Pocilga pretende homenagear um dos autores mais profícuos e controversos do nosso tempo, no ano em que se assinala os 40 anos da sua morte.
Em Pocilga corpos e porcos são objetos de uma mesma ocultação, de uma única depreciação. Pasolini faz um retrato metafórico que retrata a decadência da degradação humana, alastrada pela sociedade capitalista, retrato esse que destila a história de um homem cuja paixão é causa de escândalo. A sua Diversidade, o amor desviante, a sua monstruosidade, poderá equiparar-se ao massacre de milhares de corpos de uma Alemanha nazi? Sim, e é para isso que existem os pactos de silêncio: uma aliança política urge como o meio de silenciar “tudo o que não vive”, ou seja, tudo o que não é visto aos olhos do outro.
O amor, o sagrado e o político são três das principais dimensões desenvolvidas neste espetáculo dirigido por John Romão, na estreia mundial em língua portuguesa de um dos maiores textos de Pasolini.

Ficha Técnica

Texto Pier Paolo Pasolini 

Encenação e Tradução John Romão

Interpretação Albano Jerónimo, Ana Bustorff, Cláudio da Silva, Guilherme Moura, João Lagarto, Mariana Tengner Barros, Pedro Lacerda, Paulo Pinto, André Reis, Wesley Barros, Mickael de Oliveira, e a participação de Ágata Pinho, Cláudia Tirone, João Pedro Gama, Mariana Campos, Mariana Eugénio, Miguel Almeida, Pedro Silva, Ricardo Rodrigues, Sofia Carvalho, Tiago Gil

Cenografia Fernando Ribeiro com John Romão

Desenho de luz José Álvaro Correia

Música Nicolai Sarbib

Espaço sonoro João Bento               

Figurinos Carolina Queirós Machado

Apoio aos figurinos Rita Lopes Alves

Assistência em digressão Solange Freitas

Direção técnica Carlos Ramos

Produção executiva Stage One

Residência Artística O Espaço do Tempo

Coprodução Colectivo 84 (Lisboa), Culturgest (Lisboa), Teatro Nacional São João (Porto), Teatro Viriato (Viseu), Teatro Virgínia (Torres Novas)

Apoio anasousaatelier, A Pompadourette, Bienal de Teatro de Veneza, Eira, Europcar, mala voadora, Manteigaria – Fábrica de Pastéis de Nata, São Luiz Teatro Municipal, Teatro da Garagem

Agradecimentos Miguel Pinheiro   

O Colectivo 84 / Penetrarte é uma estrutura apoiada pelo Governo de Portugal /
Secretaria de Estado da Cultura – Direção Geral das Artes

Espetáculo coproduzido no âmbito da Rede 5 Sentidos – Rede de Programação Cultural

 

Informações Adicionais

Outras datas:

> Culturgest (Lisboa), Grande Auditório: 15, 16, 17 janeiro 2015 [ESTREIA ABSOLUTA]
> Teatro Virgínia (Torres Novas): 20 junho 2015
> Teatro Viriato (Viseu): 27 junho 2015

> Teatro Nacional São João (Porto): 3 a 12 de julho 2015

 

JOHN ROMÃO (1984) estudou Teatro – Actor/Encenador na Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC). Fez o curso internacional de teatro Nouvelle École des Maîtres, dirigido por Rodrigo García, e estudou Estéticas e Teorias da Arte Contemporânea na Sociedade de Belas Artes.

Em teatro trabalhou como ator e co-criador com Romeo Castellucci (Socìetas Raffaello Sanzio), Rodrigo García (La Carnicería Teatro), Paulo Castro (Stone/Castro), Jorge Andrade (Mala Voadora), Tiago Rodrigues (Mundo Perfeito), Jorge Silva Melo (Artistas Unidos), Francisco Salgado, Nilo Gallego, Maria João Machado, Marcos Barbosa e Harvey Grossman, e com os coreógrafos Jean-Paul Bucchieri e Mariana Tengner Barros.

Tem dirigido as suas peças desde 2002: Teorema a partir de Pasolini (SLTM, Rivoli, 2014), Cada Sopro de Benedict Andrews (T. Politécnica, 2013), Eu não sou bonita, eu sou o porco de Angélica Liddell e Paulo Castro (ZDB, 2012), Horror (TNDMII, 2011), No word to a soul (Bienal de Teatro de Venezia, 2011), Massacre cocriação com Paulo Castro (F. Citemor, 2011), Hambre (La Casona Iluminada, Bs As, 2011), Agamémnon de Rodrigo García (SLTM, 2011), Morro como país de Dimítris Dimitriádis (F. Citemor, 2010), O arco da histeria inspirado em Louise Bourgeois (ZDB, 2010), A direcção do sangue a partir de José Tolentino Mendonça (2008), Paisagem e silêncio de Harold Pinter (2006), Distante de Caryl Churchill (2004), entre outros. Apresentou as suas peças em Portugal, Espanha, Itália, Alemanha, Noruega, Eslováquia, Brasil e Argentina.

Desde 2005 é assistente encenação e dramaturgia do autor e encenador hispano-argentino Rodrigo García: Daisy (Bonlieu Scène Nationale d’Annecy, 2013), Gólgota picnic (Centro Dramático Nacional de Madrid, 2011), C’est comme ça et me faites pas chier (Bonlieu Scène Nationale Annecy, 2010), Cruda, Vuelta y vuelta, Al Punto, Chamuscada (Festival d’Avignon, 2007), Et balancez mês cendres sur Mickey (Théâtre National Bretagne, 2006), Autocompassion (Festival Citemor 2006) y Llevanten la cabeza del suelo cabrones (Théâtre de la Place, 2005). Colaborou como performer e assistente de encenação de Romeo Castellucci em Attore, Il tuo nome non è esatto (Teatro La Fenice, Biennale di Teatro de Veneza).

Leccionou a disciplina de Teatro na Escola Superior de Dança de Lisboa (2009-2011), onde dirigiu criações a partir de diferentes textos contemporâneos. Em 2012-2013, dirigiu o grupo de teatro universitário GTN – Grupo de Teatro da Universidade Nova de Lisboa. Como convidado de Romeo Castellucci e em sua representação, participou no projeto Voyages du Kadmos, projecto de novos encenadores europeus, do Festival d’Avignon 2013.

Recebeu alguns prémios: categoria de Teatro dos Prémios Novos 2014 e categoria de Teatro dos Jovens Criadores Nacionais 2012, entre outros.

 

Colectivo 84 Estrutura fundada em 2004. Sob a direção artística de John Romão (ator e encenador) e Mickael de Oliveira (dramaturgo e investigador de Estudos Teatrais), esta associação aposta na difusão e produção das artes performativas contemporâneas, focando-se principalmente no teatro de criação e na dramaturgia portuguesa e europeia.

A programação do Colectivo 84 continua a tentar responder ao significado sempre perturbador do termo “contemporâneo”. O que significa Contemporâneo para o Colectivo 84? A resposta abarca 4 pontos: 1) estruturar a sua programação através de uma temática do nosso tempo; 2) defender uma ideia transversal de contemporaneidade de formas artísticas transfronteiriças (altermodernidade); 3) uma noção clara de desejo de fomentar a criação da dramaturgia portuguesa dramática e pós-dramática; 4) fomentar a metodologia da criação teatral, ultrapassando entraves impostos pelo conceito clássico de “encenação”, na busca de uma experimentação, acompanhada por artistas, pensadores e criadores do nosso tempo.

O Colectivo 84 é uma estrutura subsidiada pela Direção Geral das Artes – Secretaria de Estado da Cultura. Recebeu apoios de entidades privadas, públicas e ministeriais no âmbito nacional e internacional: Direção Geral das Artes – Secretaria de Estado da Cultura, Direção Regional de Cultura do Centro, Fundação Calouste Gulbenkian, tendo estabelecido coproduções com Teatro Nacional D. Maria II (Lisboa), São Luiz Teatro Municipal (Lisboa), Culturgest (Lisboa), TAGV – Teatro Académico de Gil Vicente (Coimbra), Festival CITEMOR (Montemor-o-Velho), Festival Materiais Diversos (Alcanena), Festival Temps d’Images (Lisboa), Galeria Zé dos Bois (ZDB), RDP Antena 2 (Lisboa), Teatro La Laboral (ES), Meteorit Theater (ESL), Stone/Castro (Austrália), Konstanz Theater (Konstanz) e teve os apoios do Instituto Camões, do Goethe Institut e da União Europeia Culture Programme (2007-2013) – cooperation projects.

Duração do Espectáculo

1h30

Faixa Etária

M/16

Preçário

€7
€5 [< 25, Estudante, > 65, Grupo ≥ 10, Desempregado, Parcerias]

€8 [Preço especial Filme + Espetáculo]
  • partilhar: