práticas de arquivo em artes performativas . seminário internacional

Qui 16 Nov > Sáb 18 Nov 2017 | | TAGV e Teatro Nacional São João (MSBV)
- Seminário Internacional

Sinopse

Este projeto pretende avaliar e pensar as práticas de arquivo em artes performativas, considerando (1) os seus diversos contextos e ocorrências disciplinares (Teatro, Dança, Performance, Música); (2) resistências e possibilidades de constituição do arquivo na conjuntura tecnológica e mediatizada da atual; (3) as dinâmicas entre o arquivo e as práticas contemporâneas de criação e corporização da memória.

Ficha Técnica

coordenação Cláudia Madeira (Univ. Nova de Lisboa, iMEDIA MEDIA LAB), Fernando Matos Oliveira (Univ. de Coimbra, TAGV), Hélia Marçal (IHA/FCSH/ Univ. Nova de Lisboa)

entidades promotoras Centro de Estudos Interdisciplinares do Séc. XX (CEIS20/UC), Instituto de História da Arte (IHA/ Univ. Nova de Lisboa), Fundação GDA, TAGV / Centro de Dramaturgia Contemporânea, Teatro Nacional São João / Centro de Documentação MSBV

fotografia Cláudia Morais

 

Informações Adicionais

 

informações aqui 

programa aqui

inscrições aqui

 

qui 16 novembro Teatro Académico de Gil Vicente (Coimbra)

sex 17 e sáb 18 novembro Teatro Nacional São João/Centro de Documentação MSBV (Porto)

Este Seminário pretende avaliar e pensar as práticas de arquivo em artes performativas, considerando simultaneamente:

(1) os diversos contextos e ocorrências disciplinares (Teatro, Dança, Performance, Música);

(2) as resistências e as possibilidades de constituição do arquivo na conjuntura tecnológica e mediatizada da atualidade;

(3) as dinâmicas que se estabelecem entre o arquivo documentado/documentável e as práticas contemporâneas de criação e corporização da memória (embodied memory).

Será dada especial atenção às diversas tecnologias de inscrição (Derrida) que determinam a constituição do arquivo, analisando as metodologias e práticas de arquivo que nas últimas décadas vêm sendo aplicadas em diversas iniciativas documentais, tanto nacionais como internacionais. Neste sentido, além de incluir palestras propondo uma reflexão mais transversal sobre as questões teóricas e conceptuais colocadas pela dinâmica entre o arquivo e o reportório (Diana Taylor), o seminário contempla a apresentação, descrição e análise de casos concretos, dando conta das possibilidades e das limitações na constituição de um arquivo em artes performativas. As tecnologias e as práticas de arquivo são também responsáveis pela estrutura e pela própria produção dos factos e dos acontecimentos arquivados, nomeadamente âmbito da contingência reconhecida às artes performativas.

O evento decorrerá no Teatro Académico de Gil Vicente (dia 16 de novembro) e no TNSJ/Mosteiro São Bento da Vitória (17 e 18 de novembro). Cada um dos dias abre com uma conferência plenária, seguindo-se a apresentação, análise e debate de casos nacionais e internacionais. Está prevista a realização de dois workshops, respetivamente sobre “Documentação e Indexação em Artes Performativas” e “Software e Gestão de Arquivos Digitais”. Numa segunda fase será publicada uma monografia com uma seleção de textos apresentados, documentando o debate e inscrevendo-o a seu modo no espaço público, junto da comunidade de criadores, investigadores, agentes e instituições do meio artístico. A complementaridade entre as diversas ações propostas com este seminário é especialmente importante num país marcado por dificuldades na relação (material e imaterial) com o arquivo e a documentação, em certo sentido relacionáveis com o “país da não inscrição” a que se referiu o filósofo José Gil.

Preçário

informações praticas.de.arquivo@gmail.com
lotação limitada a 100 participantes
  • partilhar: