Sócrates Tem de Morrer ~ Parte I – Criação de Mickaël de Oliveira

Qui 12 Jan 2017 | 21:30 | Auditório TAGV
Teatro :: ESTREIA ABSOLUTA

Sinopse

Com aproximações ao livro “Fédon” de Platão e ao mesmo tempo distante deste, “Sócrates Tem de Morrer” junta a figura reinventada de Sócrates (Albano Jerónimo), e dos seus fieis amigos, Paulo (Paulo Pinto), Pedro (Pedro Lacerda), Maria (Maria Leite) e Ana (Ana Bustorff). O espetáculo conta os últimos três dias de Sócrates na prisão, na qual permaneceu durante um mês, período em que as festas da cidade proibiam qualquer execução capital. Sócrates entretinha-se na prisão, pensando, escrevendo poesia e recebendo a visita de alguns amigos próximos.

Ficha Técnica

Texto e encenação Mickaël de Oliveira

Assistência de encenação Solange Freitas

Interpretação Albano Jerónimo, Ana Bustorff, Maria Leite, Paulo Pinto, Pedro Lacerda

Desenho de luz Rui Monteiro

Cenografia, figurino e vídeo, apoio à criação de video Maria Leite, António MV

Música e interpretação Diogo Ribeiro

Direção de produção Armando Valente

Produção Colectivo 84

Coprodução São Luiz Teatro Municipal,  Teatro Académico de Gil Vicente, Centro Cultural de Vila Flor

Apoio Direção-Geral das Artes / Ministério da Cultura do Governo de Portugal

Agradecimento Companhia Olga Roriz, Teatro Nacional 21, Teatro Nacional D. Maria II, Mala Voadora, O Espaço do Tempo, Duplacena, Teatro da Garagem, Centro de Artes de Lisboa (CAL), Carolina Queirós Machado, Isabel Quadros, Convento São Francisco

Fotografia Bruno Simão

Informações Adicionais

Mickael de Oliveira nasceu em 1984, em França e vive em Portugal desde 1999, residindo atualmente em Lisboa. É licenciado e mestre em Estudos Artísticos – Variante Teatro, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, concluiu em 2013 o seu doutoramento na área da dramaturgia contemporânea portuguesa e europeia, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Escreve para teatro desde 2004, tendo co-fundado o Colectivo 84 em 2008 com John Romão. Tem colaborado igualmente com outras companhias como a Cão Danado (Porto), Teatro Nova Europa (Porto), DayforNight (Paris), Ensemble (Porto), Madame Teatro (Belo-Horizonte, Brasil). O seu percurso foi galardoado em 2007 com o Prémio Nova Dramaturgia Maria Matos (Teatro Municipal Maria Matos, Lisboa) com “O que é teu entregou aos mortais” em 2009, com a Menção Honrosa do Prémio Luso-Brasileiro António José da Silva (Teatro Nacional D. Maria II, Lisboa / FUNARTE, Brasil) com o texto “Clitemnestra”.

É autor de uma dezena de textos, tendo publicado em 2015 a sua “Obra Completa – Tomo I” (Edições Húmus) que junta os seus últimos trabalhos de escrita. Vários dos seus textos estão traduzidos para francês, inglês, castelhano, eslovaco, e lidos em França, Bélgica e Genebra.

É diretor artístico do projeto Encontros de Novas Dramaturgias Contemporâneas que pretende promover a dramaturgia contemporânea portuguesa e internacional. Foi diretor adjunto de Setembro de 2011 a Agosto de 2015 do Teatro Académico de Gil Vicente.

Duração do Espectáculo

1h20

Faixa Etária

M16

Preçário

€7
€5 < 25, Estudante, > 65, Grupo ≥ 10, Desempregado, Parcerias

Comprar Bilhete
  • partilhar: